Centenas de escolas fechadas por protesto de funcionários

A manifestação está marcada para as 14 horas em frente ao Ministério da Educação e são várias as reivindicações dos trabalhadores não-docentes.

Centenas de escolas fechadas por protesto de funcionários
Imagem: Notícias ao Minuto

De norte a sul do país, são várias as escolas que se encontram encerradas por causa do pré-aviso de greve emitido pela estrutura sindical dos trabalhadores em funções públicas, precisamente para permitir a participação na manifestação marcada para esta sexta-feira, em Lisboa.

Segundo disse à Lusa Artur Sequeira, da Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais – “não estamos a fazer nenhuma contagem de escolas pois o pré-aviso de greve é para a deslocação. (…) Tenho, todavia, a indicação de que há centenas de escolas fechadas, mas não temos uma contagem, pois não era um pré-aviso para encerrar escolas, apesar de muitas encerrarem.”

A Federação reclama a integração por via excepcional, sem concurso, de cerca de dois mil funcionários que reúnem as condições para a vinculação aos quadros do Estado.

Tal como revela a mesma fonte, há ainda trabalhadores recrutados sazonalmente nos centros de emprego, para um ano letivo, e que asseguram necessidades permanentes nas escolas e outros contratados à hora, por menos de três euros, em especial para tratarem de alunos com dificuldades cognitivas”.

Neste sentido, o principal objetivo da manifestação é reivindicar a integração de precários e mais funcionários nas escolas. Contudo, os trabalhadores não docentes pretendem também negociar carreiras especiais e assegurar que não ficam na tutela das autarquias, ao abrigo de um processo de descentralização que contestam.

A manifestação está marcada para as 14 horas em frente ao Ministério da Educação, onde sindicatos e trabalhadores aprovarão uma resolução para entregar ao Ministro – de quem, aliás, se queixam de falta de resposta a um caderno reivindicativo entregue em fevereiro.

Comente esta notícia