Idoso despejado de onde vivia há mais de 40 anos

Homem de 80 anos recusou aumento da renda e acabou despejado por um oficial de justiça, em Benfica.

Idoso despejado de onde vivia há mais de 40 anos
Imagem: CM

Manuel Farinha, de 80 anos, viveu mais de 40 anos numa casa arrendada na zona de Benfica, em Lisboa. Esta quinta-feira, o idoso foi despejado, após desentendimentos com o senhorio, que culminaram numa disputa em tribunal.

Ao que se sabe, o senhorio queria aumentar a renda do imóvel, algo que o idoso não aceitou, alegando o facto de receber uma pensão de apenas 390 euros mensais.

O caso foi denunciado nas redes sociais pela associação sem fins lucrativos Habita.No Facebook, a instituição divulgou a história do idoso de 80 anos. “O senhorio foi para tribunal, o Sr. Manuel recebeu notificação do tribunal e pediu advogado oficioso à segurança social que demorou mais de seis meses a responder. Resultado: o processo andou sem que o Sr. Manuel se conseguisse defender”, pode ler-se na nota publicada no Facebook.

idoso-despejado-de-casa-onde-vivia-ha-40-anos_CM

Apesar de todos os esforços da associação em impedir o despejo, Manuel Farinha teve mesmo de abandonar a sua casa. A Habita entrou em contacto com Paula Cristina Marques, a vereadora da Habitação e Desenvolvimento Local da Câmara Municipal de Lisboa, que se prontificou a tentar arranjar a possibilidade do idoso ser hospedado numa residência de idosos, fora de Benfica.

Porém, o homem de 80 anos quer ficar na zona de Benfica, perto dos “seus amigos” e onde mantém as “suas rotinas”. Vontade que foi ignorada pelo oficial da justiça que disse querer “despachar o assunto” sem “esperar nem mais um dia”.

“Tentámos obter mais alguns dias para se tentar encontrar uma solução nas imediações e, assim, o senhor Manuel permanecer integrado na sua comunidade, o que, com a sua idade é muito importante, mas a chamada ‘justiça’ é implacável: sacos de plástico, retirar o senhor de casa, dois polícias a acompanhar e, pumba, para dentro do carro. E entretanto fomos identificadas pelos senhores/a polícias para registar a ocorrência”, lê-se na publicação partilhada.

 

Comente esta notícia