Matou filha doente e guardou-a no congelador

Os contornos macabros do crime levaram a condenação de 65 anos de prisão.

Matou filha doente e guardou-a no congelador
Imagem: JN

Uma mulher norte-americana foi condenada esta quarta-feira a 65 anos de prisão por maus-tratos, homicídio e profanação do cadáver da filha de 11 anos.

Foram os serviços de proteção de menores que primeiro notaram que algo errado se passava. Numa visita à casa da família para retirar à mãe a custódia dos cinco filhos, as assistentes sociais ficaram surpreendidas por só encontrarem quatro crianças e, perante a recusa da mulher em dizer onde estava Janiya, acharam melhor chamar as autoridades.

O corpo da criança acabou por ser descoberto dois dias depois, trancado numa arca frigorífica. Sabe-se que a mãe tinha tirado a filha da escola, devido a problemas de saúde, e que dizia estar a ensiná-la em casa. Quando os serviço sociais a visitavam, conseguia arranjar sempre uma justificação para a ausência da menina.

A investigação veio a revelar um cenário trágico e que levou à morte de Janiya por malnutrição, afogamento e asfixia.

Uma familiar contou ao tribunal que a menina sofria de um problema de saúde que a impossibilitava, por vezes, de controlar a bexiga e os intestinos. Devido à doença, a mãe manteria a criança trancada na casa de banho, para evitar que sujasse a casa. Um dia chegou mesmo a mergulhar Janiya em água com lixívia para lavá-la.

Durante o julgamento, os serviços sociais e a polícia reconheceram ter falhado neste caso e o procurador afirmou ter sido a “mais horrível morte de uma criança” em que esteve envolvido.

Comente esta notícia