Papa critica Trump: "reconhecer Jerusalém como capital de Israel?"

Depois do Presidente dos Estados Unidos ter 'largado a bomba', vários líderes mundiais temem a escalada de violência no Médio Oriente e no mundo.

Papa critica Trump:
Imagem: JN

“Não posso calar a minha profunda preocupação perante a situação que se criou nos últimos dias” sobre Jerusalém, disse Francisco na audiência semanal, perante milhares de fiéis, no Vaticano.

Sem citar diretamente o anúncio de Donald Trump, apelou para que “todos se comprometam a respeitar o estatuto da cidade, em conformidade com as resoluções da ONU” e lembrou que “Jerusalém é uma cidade única, sagrada para judeus, cristãos e muçulmanos, que ali veneram locais sagrados para as suas respetivas religiões, e ela tem uma vocação especial para a paz”.

“Peço a Deus que esta identidade seja preservada e reforçada, em benefício da Terra Santa, do Médio Oriente e de todo o mundo, e que prevaleçam sabedoria e prudência, para evitar acrescentar novos elementos de tensão num panorama mundial já convulsivo e marcado por tantos conflitos cruéis”, reiterou.

Os Estados Unidos vão ser, caso se confirme esta decisão, o único país do mundo a reconhecer Jerusalém como a capital de Israel, tendo já anunciado a mudança da embaixada dos EUA de Telavive para a cidade santa. A decisão de Trump contraria décadas de diplomacia norte-americana para o Médio Oriente. Esperam-se muitos protestos e teme-se a escalada de violência em todo o mundo.

 

Comente esta notícia