Polícias alegam que ratos comeram meia tonelada de marijuana

Presentes a tribunal por serem os principais suspeitos do roubo da droga, os agentes alegaram que a culpa era dos ratos da esquadra. A explicação surpreendeu, mas não convenceu.

Polícias alegam que ratos comeram meia tonelada de marijuana
Imagem: DN

Oito polícias argentinos foram despedidos e presentes a tribunal após o desaparecimento de meia tonelada de marijuana que tinha sido apreendida pelas autoridades numa rusga, há dois anos.

Em tribunal, os agentes negaram todas as acusações e alegaram que a droga tinha sido “comida por ratos”. A marijuana, que estava guardada num armazém da polícia, foi sujeita a uma inspeção, momento em que se descobriu que faltava pelo menos meia tonelada da droga.

Em vez de 6 mil quilos de droga estavam apenas 5460, faltando mais de 500 quilos em falta. Sabe-se que o principal suspeito é o ex-comissário da polícia, Javier Specia, que era também o responsável pelo inventário do local. Em tribunal, Specia e três dos seus antigos subordinados corroboraram a versão de que os “culpados” eram, de facto, os ratos.

A explicação surpreendeu, mas não convenceu. A teoria dos polícias foi facilmente contrariada por cientistas. “Os especialistas da Universidade de Buenos Aires explicaram que os ratos não iriam confundir droga com comida” e que, mesmo que essa hipótese pudesse ser verdade, nem um grande número de animais conseguiria comer meia tonelada do produto, afirmou um dos especialistas ao juiz.

“Se um grande grupo de roedores comesse, seria ainda encontrado um grande número de cadáveres no armazém”, referiu ainda. Os quatro agentes vão testemunhar novamente no tribunal no próximo dia 4 de maio. A desculpa dos polícias, porém, já está a ser alvo de muitas piadas, sobretudo nas redes sociais.

 

Comente esta notícia