Véu islâmico integral proibido em Marrocos

Por questões de segurança, o governo marroquino decidiu proibir o fabrico e a venda de burqas.

Véu islâmico integral proibido em Marrocos
A burqa cobre o corpo da cabeça aos pés

Com o argumento de que este tipo de vestuário é usado por criminosos para ocultarem a sua identidade, as autoridades de Marrocos proibiram o fabrico e a venda do véu islâmico integral, uma peça de roupa que cobre o corpo da cabeça aos pés.

“Tomámos a medida de proibir totalmente a importação, fabrico e comercialização desta peça de vestuário em todas as cidades e vilas do reino”, informou um alto funcionário do governo de Rabat, citado pela agência de notícias AFP.

Na sequência desta medida, vários órgãos de comunicação social marroquinos avisaram hoje que a lei exige que os comerciantes escoem o seu stock de burqas em 48 horas. Para isso, as autoridades estão a informar localmente os vendedores e a levar a cabo ações de sensibilização para esta iniciativa governamental.

Os jornais marroquinos informam ainda que o principal motivo para esta resolução é o facto de haver “criminosos que repetidamente usam esta peça de vestuário para cometerem os seus crimes”. Desta forma, impedem que as testemunhas os identifiquem, ficando impunes à justiça.

Recorde-se que esta lei surge num país cuja religião dominante é o Islamismo, estimando-se que seja praticado por 98,7% da população.

Comente esta notícia