2016 teve recorde de famílias sobre-endividadas a pedir ajuda

Há cada vez mais portugueses a acumular dívidas e a Deco não consegue ajudá-los a reorganizar-se.

2016 teve recorde de famílias sobre-endividadas a pedir ajuda
Estatísticas são da Deco

Quase 30 mil famílias sobre-endividadas pediram no ano passado ajuda ao Gabinete de Apoio ao Sobre-endividado (GAS) da associação Deco – mais 474 do que em 2015 -, mas menos de 3.000 viram as dívidas reestruturadas.

Segundo a coordenadora do GAS, Natália Nunes, ao contrário do que se esperava a situação económica dos cidadãos não tem melhorado: “A expectativa de que o crescimento económico melhorava a situação financeira das famílias não se verificou, nem houve uma redução das famílias a pedir ajuda, muito pelo contrário, verificou-se um ligeiro aumento”.

O número de pedidos de ajuda ao GAS tem vindo a subir desde 2014 e o ano de 2016 foi o mais negro de sempre. A Deco, contudo, não consegue ajudar sempre: “Continuamos a ver uma degradação da situação financeira e, por isso, não conseguimos ajudar a maioria das famílias”, explica Natália Nunes, que admite que, apesar do recorde de pedidos de ajuda, a Deco não conseguiu reestruturar muito mais dívidas do que no ano anterior.

Regra geral, a maioria dos pedidos de ajuda que chegam ao GAS vêm de famílias afetadas pelo desemprego e que vivem, sobretudo, nas zonas de Lisboa e Vale do Tejo e do Porto. A estatística revela, no entanto, um decréscimo da taxa de esforço – que era de 72% em 2015 e baixou para 67% em 2016.

 

 

Comente esta notícia