Açores: agente da PSP suicida-se na esquadra

Margarida Lopes, de 41 anos de idade, agente da esquadra de Ponta Delgada, usou a pistola de serviço para pôr fim à vida.

Açores: agente da PSP suicida-se na esquadra
Imagem: CM

Uma agente principal da Polícia de Segurança Pública, com 20 anos de serviço, suicidou-se na esquadra com a sua própria arma, anunciou, esta quinta-feira, o Comando Regional dos Açores da PSP.

“A vítima recorreu à arma de fogo que tinha distribuída e o suicídio ocorreu nas instalações desta Polícia, sitas em São Gonçalo, Ponta Delgada”, lê-se no comunicado.

Na nota divulgada, a PSP dos Açores acrescenta que a agente em causa, “considerando o quadro clínico apresentado desde há algum tempo, havia sido sinalizada para receber apoio psicológico por parte da Polícia de Segurança Pública, que recusou, sendo acompanhada, por sua vontade, por médico particular, segundo o qual e de acordo com os relatórios clínicos apresentados, considerava que a mesma se encontrava apta para o adequado desempenho das suas funções”.

Açores: agente da PSP suicida-se na esquadra

Tal como avança o CM apurou, os polícias que partilharam os últimos anos de trabalho estão revoltados com o facto de Margarida Lopes ter estado numa baixa psiquiátrica e o Comando dos Açores não ter tomado a iniciativa de a desarmar, como é normal nestes casos.

Questionado sobre este caso, Mário Andrade, presidente do Sindicato dos Profissionais de Polícia, admitiu ter tido conhecimento da situação da agente.

“Efetivamente, em casos como estes deve-se sempre optar por aquilo que chamamos de desarmamento cautelar. Os Comandos devem fazer uma avaliação das situações e reagir de imediato”, referiu.

Sabe-se que a agente Margarida Lopes deixou uma carta de despedida na esquadra.

 

 

Comente esta notícia