As explicações de Vieira para manter Vitória: "Foi uma luz que me deu"

Presidente segura o treinador até final da época, mas admite que a decisão não foi consensual na SAD. Foi mais um feeling de Vieira, que sempre apostou na continuidade.

As explicações de Vieira para manter Vitória:
Imagem: Record

Luís Filipe Vieira garantiu, em conferência de imprensa, a continuidade de Rui Vitória no Benfica até final da temporada.

O presidente encarnado lembrou a “importância do técnico no projeto” do clube mas admitiu que a decisão de o manter, tomada por si, não foi consensual entre a restante SAD, que ontem esteve reunida. “Foi uma luz que me deu”, atirou.

Vieira revelou que tomou a decisão durante uma noite em que mal dormiu e que a comunicou primeiro a Tiago Pinto, com o diretor para o futebol a ficar “perplexo”. Seguiu-se uma reunião com Vitória que, segundo Vieira, disse que não queria ser um “problema” para o clube e onde revelou que ia rejeitar uma proposta de milhões de outro emblema para ficar na Luz.

“O Jesus esteve com os dois pés na saída. Mas tive um feeling – há quem diga que sou um visionário, que parece que vejo mais à frente -, decidi que ele devia ficar e no fim fomos campeões. E agora aconteceu a mesma coisa: depois de muita reflexão, entendi que ele devia continuar, que é o homem certo no lugar certo. Vamos ver se o tempo dirá se tenho razão ou não. Não escondo que havia uma decisão tomada, quando saí daqui ontem fiz um determinado compromisso, mas… eu sei como decido muita coisa. Olhe, foi uma luz que me deu! Dormi no Seixal, meditei bastante”, começou por dizer o líder dos encarnados na conferência de imprensa convocada de urgência para clarificar os recentes acontecimentos.

As explicações de Vieira para manter Vitória:

“A responsabilidade é minha. Nem todos na SAD alinhamos na mesma direção, mas depois da decisão tomada somos solidários uns com os outros. Rui Vitória será o treinador até ao final da época, a menos que surja algum imprevisto”, revelou ainda o presidente do Benfica.

E a explicação não ficou por aqui: “Quando o Rui Vitória chegou falámos, disse-lhe o que pensava da continuidade dele e se ele estava preparado e motivado face ao que aconteceu nos últimos dias, pois ele era carta fora do baralho para a comunicação social. Quando comecei a falar com ele, disse-me: ‘Nunca serei problema para o Benfica. Se tiver de sair, não quero indemnização nenhuma.’ E eu posso provar isto. Já tínhamos decidido que, caso se confirmasse a sua saída, o Benfica teria a obrigação de lhe pagar enquanto ele estivesse desempregado. A ele e a todos os adjuntos”, assumiu o presidente.

“Depois de lhe ter dito que ia continuar, ele rejeitou uma proposta em que ia ganhar por ano seis milhões de euros, ou dólares. É um treinador comprometido com a nossa estratégia, lançou vários jovens desde que cá está. Claro que há um descontentamento com os resultados neste momento, não têm sido os melhores, mas é importante para o projeto que o Rui Vitória continue. Ainda é possível conquistar todos os títulos em Portugal. Nos últimos dez anos tivemos dois treinadores e ganhámos 16 títulos; é ver a quantidade de treinadores dos rivais no mesmo período e os títulos que ganharam… A estabilidade nas equipas técnicas é muito importante e a trajetória dos últimos anos dá-nos razão”, concluiu.

 

 

Comente esta notícia