Benfica compara ataque ao autocarro à invasão de Alcochete

E Rui Vitória enviou recado a “todos os ‘Brunos’ do país", dizendo que "o futebol não é isto”.

Benfica compara ataque ao autocarro à invasão de Alcochete
Imagem: CM

O Benfica comparou o apedrejamento ao autocarro que transportava adeptos do clube da Luz ao ataque aos jogadores do Sporting na Academia de Alcochete.

“O que está em causa, nesta emboscada da A1, é de novo o crime organizado. É semelhante, na forma, ao que se passou em Alcochete: uma ação planeada e perpetrada intencionalmente para causar dano”, referiu o Benfica através de comunicado.

Bruno Simões, jovem adepto benfiquista que ficou em muito mau estado, continua internado em Gaia, e devido ao prognóstico ainda ser reservado, a operação ao maxilar será adiada uma semana.

Benfica compara ataque ao autocarro à invasão à Academia de Alcochete

No comunicado, intitulado – “Terrorismo sem Perdão”, publicado no site, o Benfica levantou ainda uma questão: “O que é que ainda falta para se travar esta gente?” e criticou a Liga de Clubes por não ter dirigido “uma palavra” ao adepto que ficou gravemente ferido, e reforça que “a inércia das instituições é o melhor incentivo à cultura de ódio”.

O treinador do Benfica, Rui Vitória, também decidiu abordar o assunto na conferência de imprensa de antevisão do jogo com o Desportivo das Aves da última jornada da fase de grupos da Taça da Liga.

Benfica compara ataque ao autocarro à invasão à Academia de Alcochete

Aproveitou o momento para enviar um “abraço solidário” ao adepto ferido e enviar um recado.

“Isto tem a ver com todos os ‘Brunos’ deste País, de todas as cores. O futebol não é isto. Não falo concretamente deste caso, mas todos temos de pensar que este espetáculo tem de ser bem defendido; as pessoas têm de vir ao estádio com confiança, sabendo que podem trazer as suas famílias com tranquilidade”, disse o treinador.

 

Comente esta notícia