Benfiquista fica irreconhecível após apedrejamento “cobarde” em Gaia

Estudante de 20 anos que seguia no autocarro da Casa do Benfica de Barcelos que foi atacado em Gaia, tem fraturas múltiplas na cara e dentes partidos. Isto depois de ter sido atingido com uma pedra, "maior do que um paralelo".

Benfiquista fica irreconhecível após apedrejamento “cobarde” em Gaia
Imagem: CM

Bruno Simões, um estudante de 20 anos que seguia num autocarro de regresso a Barcelos, depois de assistir ao duelo entre Benfica e Braga, no passado domingo, continua internado com fraturas graves. Isto depois do autocarro da Casa do Benfica de Barcelos ter sido atacado com pedras na zona de Vila Nova de Gaia, quando regressava ao Minho, depois do jogo que terminou com a vitória das águias por 6-2.

Em declarações ao jornal Record, o pai do jovem contou que o filho foi atingido com uma pedra “maior do que um paralelo”.

O Benfica, que já tinha repudiado o assunto, revelou que está a “acompanhar” o quadro clínico do adepto que foi vítima de um ataque “bárbaro e vergonhoso”.

Benfiquista fica irreconhecível após apedrejamento “cobarde” em Gaia

Os encarnados dizem que “é preciso atuar de forma rápida e implacável com todas as correntes de violência que semeiam o pânico no desporto” e que “não é admissível que os responsáveis por esta barbaridade continuem à solta”.

Na “News Benfica”, o clube da Luz salientou ainda que se tratou de um ataque “cobarde”, frisando que “é preciso pôr em prática todos os mecanismos ao alcance das autoridades para erradicar do Desporto os energúmenos e selvagens que planeiam e concretizam estes ataques.”

 

Comente esta notícia