Bruno pede anulação da Assembleia Geral que o destituiu

E o Tribunal entendeu que o Sporting se deverá pronunciar. O clube tem agora 10 dias para responder à providência cautelar. Bruno está disposto a tudo para lhe devolverem a cadeira de presidente.

Bruno pede anulação da Assembleia Geral que o destituiu
Imagem: JN

É oficial: são oito os pretendentes a candidatos à presidência do Sporting. O prazo de apresentação das listas encerrou esta quinta-feira e a Mesa da Assembleia Geral (MAG) terá agora de avaliar até à próxima segunda-feira se as candidaturas estão em conformidade com os estatutos do clube.

O ex-director clínico dos “leões” Frederico Varandas foi o primeiro a anunciar e a formalizar a sua candidatura, seguido de João Benedito, antiga glória do futsal do clube.

Na corrida está também o gestor Pedro Madeira Rodrigues (que já concorreu ao anterior acto eleitoral), o banqueiro José Maria Ricciardi, os advogados Dias Ferreira e Rui Jorge Rego, o empresário Fernando Tavares Pereira e Bruno de Carvalho.

Bruno pede anulação da Assembleia Geral que o destituiu

Depois de afastado da direcção do clube e da SAD na Assembleia Geral de 23 de Junho, por uma margem considerável (71%), o ex-líder já admitiu ser substituído por Erik Kurgy se se mantiver a suspensão por um ano a que foi castigado pela Comissão de Fiscalização do clube – Comissão, aliás, que já fez saber que não reconhece legitimidade.

Tanto é assim, que Bruno de Carvalho avançou com uma nova providência cautelar na qual pede a anulação da Assembleia Geral que o destituiu da presidência do Sporting. A notícia, avançada pelo CM, refere ainda que o Tribunal entende que o clube se deverá pronunciar no prazo de 10 dias à providência cautelar pedida pelo presidente destituído.

 

 

Comente esta notícia