Carlos César: “PS sente-se envergonhado com Pinho e Sócrates"

"A confirmar-se é uma situação incompreensível e lamentável", disse o líder parlamentar dos socialistas. Em relação a Sócrates a vergonha "até é maior", frisou.

Carlos César: “PS sente-se envergonhado com Pinho e Sócrates
Imagem: Renascença

Numa entrevista à TSF, Carlos César, o líder parlamentar do Partido Socialista (PS) disse que o partido “sente-se envergonhado” em relação ao ex-ministro Manuel Pinho, caso sejam confirmadas as suspeitas de que é alvo.

“O Partido Socialista sente-se, a confirmar-se o que é dito, envergonhado”, declarou. “A confirmar-se é uma situação incompreensível e lamentável”, acrescentou.

Aos microfones da rádio, Carlos César referiu que o caso “tem de ser esclarecido e punido” até porque não há razão para não avaliar o caso Manuel Pinho como já se avaliaram “os casos de vários ministros e responsáveis que na banca ou na política que tiveram comportamentos desviantes, irregulares ou até de alçada criminal.”

Carlos-Cesar_Sabado

Segundo Carlos César “é através de uma Comissão de Inquérito” que “melhor se poderá resolver este assunto”. O socialista referiu, no entanto, que o caso de Manuel Pinho não irá ter espaço de discussão no congresso do partido, que se realiza entre os dias 25 e 27 deste mês.

Confrontado com as suspeitas que recaem também sobre José Sócrates, o líder parlamentar do PS admitiu que a vergonha “até é maior”, uma vez que se trata de um antigo primeiro-ministro.

À TSF revelou que estes casos são discutidos nas reuniões internas do partido. “Ficamos até enraivecidos com isto”, em especial com “pessoas que se aproveitam dos partidos políticos” e têm “comportamentos desta dimensão e desta natureza”. “Evidentemente que ficamos revoltados com tudo isso, como outros certamente terão ficado”, rematou.

 

 

Comente esta notícia