Carrilho obrigado a pagar multa para não ir para a prisão

Em causa, agressões ao pedopsiquiatra Pedro Strecht, que acompanhou o processo da guarda dos fihos de Bárbara e Carrilho. Vai pagar 2400 euros em substituição de pena de prisão de 8 meses.

Carrilho obrigado a pagar multa para não ir para a prisão
Imagem: Flash

O ex-ministro da Cultura, Manuel Maria Carrilho, foi esta quarta-feira condenado a uma pena de multa de 2.400 euros pelo crime de ofensa à integridade física qualificada e injúria agravada, no processo em que era acusado de ter agredido o pedopsiquiatra Pedro Strecht. A multa foi aplicada em substituição de uma pena de 8 meses de prisão.

O caso remonta a janeiro de 2016, quando Carrilho agrediu e insultou Pedro Strecht, que tinha acabado de dar um parecer sobre o estado psicológico dos filhos do arguido durante o processo de divórcio com a apresentadora de televisão Bárbara Guimarães. As agressões aconteceram no intervalo de uma das sessões do julgamento no qual se iria decidir a guarda dos dois filhos do casal.

carrilho-obrigado-a-pagar-multa-para-nao-ir-para-a-prisao_Flash

O pedopsiquiatra deu um parecer que não terá agradado o ex-ministro da Cultura. “Foi então desde logo nossa ideia clínica que as consultas ao Dinis estariam a evidenciar a instrumentalização emocional desta criança pelo pai, dotando-o de uma carapaça defensiva em relação a qualquer tipo de intervenção terapêutica que se deseja neutra”, considerou, na altura, o especialista.

Já depois da acusação acabaria por pedir desculpa a Strecht, justificando estar sob “pressão” e descontrolado emocionalmente. Depois doou mil euros à FAMSER – Associação de Apoio às Família Desfavorecidas, onde Pedro Strecht colabora.

Apesar do pedido de desculpas e do acordo entre as partes, o tribunal avançou com o processo e acabou mesmo por condenar o agressor.

 

Comente esta notícia