Cavaco acredita que a idade da reforma pode chegar aos 80 anos

Ex-Presidente também considera que os refugiados ou imigrantes não vão conseguir resolver a redução da população ativa. O país tem de apostar numa política "muito forte de apoio à natalidade", defendeu.

Cavaco acredita que a idade da reforma pode chegar aos 80 anos
Imagem: Público

Numa entrevista à “Rádio Renascença” o ex-Presidente da República disse que a idade da reforma poderá não ir para “não muito longe dos 80 anos”, perto de 2050.

Não se mostrou, por isso, surpreendido com o estudo da última semana da Fundação Francisco Manuel dos Santos, que aponta para um aumento da idade da reforma.

“Não me surpreende a conclusão do estudo”, afirmou Cavaco Silva, sublinhando que essa medida “vai alterar totalmente o percurso de vida de uma pessoa, que neste momento passa por uma fase de educação, uma fase de trabalho e uma fase de reforma”, prosseguiu.

Cavaco acredita que a idade da reforma pode chegar aos 80 anos

“No futuro, existirão mais ciclos de atividade na vida. A previsão é de que, daqui a não muitos anos, mas com certeza depois de 2030, as reformas passem a situar-se e um nível bastante superior aos 65 anos que até aqui se conheciam. Fala-se mesmo que, perto de 2050, as reformas passem a situar-se não muito longe dos 80 anos”.

Para o ex-Presidente da República a única hipótese passa por uma política “muito forte de apoio à natalidade e não tanto compensar a redução do número de população ativa com a entrada de imigrantes”.

Cavaco Silva disse não acreditar que os “refugiados que estão a chegar à Europa possam resolver o problema de Portugal, não só porque não estamos numa rota dos imigrantes, mas também porque muitos, quando chegam aqui, tentam depois escapar-se para países como a Alemanha, a França ou os países nórdicos”.

 

Comente esta notícia