Lisboa: condutores pagam para estacionar em cima do passeio

Várias ruas de Campolide têm, há algumas semanas, locais tarifados pela EMEL em que as viaturas ocupam metade da faixa de rodagem e metade do passeio.

Lisboa: condutores pagam para estacionar em cima do passeio
Imagem: JN

O desenho está bem pintado no alcatrão e há sinalização a explicar como proceder nas ruas Vieira Lusitano, Conde das Antas, Leandro Braga e Soares dos Reis, em Lisboa.

Em todos os casos, os lugares delimitam o espaço de estacionamento entre a faixa de rodagem e pilaretes que impedem que os mesmos fiquem demasiado encostados aos prédios. Em alguns casos, porém, o espaço que fica entre o passeio e os edifícios é demasiado curto para quem, por exemplo, se deslocar com um carrinho de bebé.

condutores pagam para estacionar em cima de passeio

Um morador na rua Vieira Lusitano referiu que aquele é um bairro com graves problemas de estacionamento. “Antes dos parquímetros, já havia muitas pessoas que deixavam os carros em cima dos passeios, mas quando a polícia passava eram multadas. Agora, podem fazê-lo, mas pagam para isso durante o dia”, contou ao JN.

Recorde-se que, de acordo com a alínea 1 do artigo 49 do Código da Estrada, é proibido estacionar “nas pistas de velocípedes, nos ilhéus direcionais, nas placas centrais das rotundas, nos passeios e demais locais destinados ao trânsito de peões”. As coimas previstas vão de 30 a 150 euros.

Questionada sobre o assunto, a EMEL – Empresa Municipal de Estacionamento de Lisboa – remeteu explicações para a Câmara, “a responsável pelo layout dos lugares”. Até ao momento, a Câmara de Lisboa não se pronunciou sobre o assunto.

 

Comente esta notícia