Costa reage de forma inesperada a Cristas: “Deve ser pela minha cor de pele”

Debate quinzenal ficou marcado por violenta discussão entre o primeiro-ministro e a líder do CDS-PP. Tudo porque Cristas quis saber se Costa condenava ou não “os atos de vandalismo” que aconteceram nos distritos de Lisboa e de Setúbal e se “defende a autoridade da polícia”.

Costa reage de forma inesperada a Cristas: “Deve ser pela minha cor de pele”
Imagem: Jornal Económico

Assunção Cristas e António Costa envolveram, esta sexta-feira, numa dura troca de acusações sobre a situação e as irregularidades detetadas na Caixa Geral de Depósitos e os atos de violência da última semana em Lisboa e Setúbal.

Costa reage de forma inesperada a Cristas: “Deve ser pela minha cor de pele”

No debate quinzenal, no parlamento, Assunção Cristas insistiu com António Costa para saber se condenava ou não “os atos de vandalismo” que aconteceram nos distritos de Lisboa e de Setúbal durante a semana e se “defende a autoridade da polícia”.

Incomodado com a pergunta, Costa reagiu. “Está a olhar para mim… Deve ser pela cor da minha pele que me pergunta se condeno ou não condeno”, disse o primeiro-ministro, resposta que deu origem a uma pateada na bancada do CDS e do PSD e aplausos na do PS.

Costa reage de forma inesperada a Cristas: “Deve ser pela minha cor de pele”

O plenário agitou-se e foi necessário que o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, serenasse os ânimos: “Temos todos que ter calma e moderação, deputados e o senhor primeiro-ministro. Peço que este tipo de conclusões não sejam usadas neste debate”, atirou.

Quando voltou a tomar a palavra, Assunção Cristas respondeu apenas: “Não respondo ao seu comentário. Fiquei com vergonha alheia.”

 

Comente esta notícia