Finanças investigam funcionários do Estado

Seis destacados funcionários de vários ministérios estão envolvidos neste caso que está a ser investigado pela Inspeção Geral das Atividades em Saúde.

Finanças investigam funcionários do Estado
Imagem: iStock

A Autoridade Tributária está a investigar as circunstâncias que levaram altos funcionários do Estado a viajar para a China por intermédio da empresa Huawei. O semanário Expresso avança que, em 2015, parceiros da multinacional Huawei pagou os custos das viagens de avião e da estadia na China a seis funcionários dos ministérios da Saúde e das Finanças. À Lusa, a AT informou que está a conduzir o inquérito para “verificação das circunstâncias que levaram à autorização e aceitação da viagem em questão”.

Uma viagem realizou-se entre 02 e 06 e de junho de 2015, envolvendo cinco dirigentes do Ministério da Saúde. Em fevereiro do mesmo ano, outro destacado funcionário do Estado, Carlos Santos, da AT, viajou para a China “com tudo pago”. Ao todo, são 6 funcionários dos ministérios da Saúde e das Finanças envolvidos neste caso. Uma fonte ligada ao processo asseguro que foi pago “tudo, mesmo tudo”, incluindo a alimentação.

“Os altos quadros dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS) que viajaram a convite são Artur Trindade Mimoso, vogal executivo do conselho de administração, Nuno Lucas, diretor de sistemas de informação, Ana Maurício, diretora de comunicação, Rui Gomes, diretor de sistemas de informação e Rute Belchior, diretora de compras”, lê-se na notícia do Expresso.

Durante a viagem, visitaram o Hospital de Zheng Zhou para perceber como funciona o sistema de telemedicina da unidade e a sede da tecnológica em Shenzhen, perto de Hong Kong. Os SPMS afirmam que a viagem teve “objetivos prioritários” para adquirir e partilhar conhecimentos sobre “os recursos, modelos e estratégias diferenciadoras utilizadas no âmbito da telemedicina”. Carlos Santos participou numa cimeira de tecnologia no quartel-general da Huawei, de 09 a 14 de fevereiro de 2015.

 

 

Comente esta notícia