Freira de 61 anos encontrada morta: foi violada depois de ter sido estrangulada

Quis ajudar e acabou por ser assassinada. Episódio de extrema violência aconteceu em S. João da Madeira, cidade do distrito de Aveiro.

Freira de 61 anos encontrada morta: foi violada depois de ter sido estrangulada
Imagem: Jornal Labor

Maria Antónia Guerra, mais conhecida por “Tona” em S. João da Madeira, saiu de casa na manhã de domingo para ir à missa e acabou por não chegar ao seu destino. Foi assassinada por um homem de 45 anos, que tinha saído da prisão há 3 meses, e que, entretanto, já foi detido.

Em comunicado, a Polícia Judiciária explicou que “o detido, após ter conseguido atrair a vítima até ao interior da sua habitação, com o pretexto de lhe oferecer um café por esta o ter transportado na sua viatura até ali”, referiu-lhe que com ela queria manter relações sexuais, o que foi recusado.

freira encontrada morta

O homem, de 45 anos, que tinha saído da prisão há três meses após cumprir pena por violação, “recorreu à força física aplicando à senhora, ao que tudo indica, um golpe de estrangulamento denominado “mata-leão” que terá sido a causa da morte”. De seguida, refere a PJ, “deitou-a sobre a cama e terá mantido relações sexuais”.

A população de S. João da Madeira está em choque. O carro da freira estava estacionado à porta da casa de Alfredo, conhecido por “Tito”, que fica a 10 minutos da casa de Maria Antónia Guerra. Foi a mãe da senhora, com quem ela vivia, que terá telefonado para a Polícia a alertar o desaparecimento.

 

Comente esta notícia