"Fui condenado por dizer a verdade"

Depois de 250 adeptos do FC Porto terem protestado à porta do Palácio da Justiça, onde, na semana passada, os portistas foram condenados a pagar uma indemnização de 2 milhões ao Benfica, agora é Francisco J. Marques que reage à condenação.

Imagem: Renascença

Francisco J. Marques recorreu ao Twitter para falar sobre o acórdão do Tribunal Judicial da Comarca do Porto sobre o caso dos e-mails.

“‘Os e-mails divulgados são genuínos, documentando efectiva correspondência trocada entre os respectivos remetentes e destinatários nos dias e horas neles consignados, com o exacto teor neles plasmado. Fui condenado por dizer a verdade. Vou esperar que a justiça volte a ser cega”, escreveu o diretor de comunicação do FC Porto no Twitter.

 

Recorde-se que o clube, a FC Porto SAD e Francisco J. Marques foram condenados a pagar cerca de 2 milhões de euros, valor que compreende 523 mil euros de danos patrimoniais emergentes e 1,4 milhões de danos não emergentes.

Entretanto, o clube, através de comunicado divulgado no site oficial, garantiu que “não se conforma” com a decisão, que penaliza a “divulgação de informação que o próprio tribunal reconheceu como verdadeira”. Vai, por isso, recorrer da decisão.

fui condenado por dizer a verdade

Indignados também os adeptos azuis e brancos, que se reuniram à porta do Palácio da Justiça do Porto para protestar contra a decisão.

Com cartazes a pedir a prisão para corruptos, os adeptos demonstraram a sua indignação pelo facto de o Fc Porto ter de indemnizar o S.L.B. “O conteúdo dos e-mails é verdadeiro, mas condena-se quem os divulgou em vez de condenar os factos que estão lá escritos. Foi uma decisão injusta e por isso é que estamos aqui a manifestar”, disse um dos protestantes, citado pelo JN.

 

Comente esta notícia