"Gostei de trabalhar com todos os presidentes, menos com um"

Canal 11 emitiu uma longa entrevista com Jesus, na qual o agora treinador do Flamengo revelou algumas das ofertas que recebeu durante o período no qual orientou o Benfica, entre 2009 e 2015.

Imagem: JN

Numa entrevista ao Canal 11, emitida esta quarta-feira, Jorge Jesus admitiu que nunca pensou “sair de Portugal”. No entanto, admite, o facto de ter saído do Sporting rumo ao Al Hilal, no verão de 2018, acabou por mudar a perspetiva que tem do futebol. Entre outros assuntos, falou também das ofertas que recebeu durante o período no qual orientou o Benfica, entre 2009 e 2015.

“Enquanto treinador do Benfica, tive vários convites de Atlético de Madrid, Valencia, Monaco, AC Milan. Quem é que rejeita o AC Milan? Rejeitei eu. Hoje não rejeitava, mas na altura rejeitei. Era um treinador muito bem pago, e continuo a ser. Para sair de Portugal para o estrangeiro, algo me tinha de motivar. Ou o clube, ou financeiramente”, afirmou.

“Depois de ter saído, vejo as coisas de maneira diferente. Conhecer outros campeonatos, outras culturas e outras pessoas abriu-me horizontes. A Arábia Saudita ensinou-me a respeitar o que é o futebol. Os espectadores, os adversários, a cultura…”, acrescentou.

jorge jesus

Jorge Jesus abordou, ainda, a atual ‘aventura’ no futebol brasileiro. Não esconde que esta decisão “não foi fácil”, que acabou, inclusive, por incomodar Pini Zahavi, homem que, neste momento, é responsável pela gestão da sua carreira.

“O meu agente não ficou muito satisfeito por eu tomar esta decisão, porque ele tinha algumas equipas de Inglaterra com quem tinhas as coisas acordadas, mas eu tomei a decisão sem lhe dizer nada. Quando surgiu isto do Flamengo, não tinha dúvidas. Era o que eu queria, era a equipa que se enquadrava comigo, era um sonho”, referiu.

“As pessoas não têm nenhuma noção do que aquilo é… Atrevo-me a dizer que é o campeonato mais competitivo do mundo. As equipas são todas muito iguais. Das 20 equipas, 12 já foram campeãs. Isso não existe em nenhum campeonato do mundo”, sublinhou.

A terminar, e quando falava da experiência no Sporting de Braga e do convívio com António Salvador, Jorge Jesus deixou uma curiosa tirada: “Foi outro presidente com quem trabalhei e com quem gostei muito de trabalhar. Aliás, aprendi com todos e gostei de trabalhar com todos… Menos com um, mas isso já faz parte do passado”.

 

Comente esta notícia