Governo e bombeiros em guerra...Marcelo apela à calma

O ministro da Administração Interna acusou a Liga dos Bombeiros de ser "absolutamente irresponsável" e alerta para consequências do foro criminal. Marta Soares acusa-o de mentir.

Governo e bombeiros em guerra...Marcelo apela à calma
Imagem: Observador

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, acusou a Liga dos Bombeiros Portugueses de ser “absolutamente irresponsável”, depois de ter sido decidido por aquele órgão que vai “suspender toda a informação operacional aos respetivos Comandos Distritais de Operações de Socorro”, da Proteção Civil.

“É absolutamente irresponsável e põe em causa a segurança dos portugueses. É absolutamente irresponsável admitir que estruturas que integram o sistema nacional da Proteção Civil possam não reportar ao sistema, isto é, por em causa a coordenação de meios”, disse Eduardo Cabrita este domingo.

Governo e bombeiros em guerra...Marcelo apela à calma

O ministro disse mesmo que era “ilegal” não reportar informação às autoridades competentes e disse que haverá “consequências” para os incumpridores.

Numa mensagem direta aos bombeiros, o dirigente acrescentou: “Não ponham em causa esta prioridade absoluta que é a garantia da segurança das populações e a necessidade de coordenação entre todos os meios de resposta em função da natureza e dimensão da ocorrência”.

“O governo assegura a segurança dos portugueses e apela a que todas as ocorrências sejam participadas a partir do sistema do 112, porque essa é a única forma de garantir a comunicação plena entre todas as autoridades”, prosseguiu.

Logo após a comunicação do ministro, Jaime Marta Soares, presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses acusou Eduardo Cabrita e o Governo de mentirem quanto à suposta menor preparação dos bombeiros para acudirem às mais diversas ocorrências, perante o corte de relações com a Proteção Civil.

Governo e bombeiros em guerra...Marcelo apela à calma

“Você sabe que esteve a mentir, não sabe, senhor ministro?”, disse Marta Soares. “Não põe minimamente em causa, como o senhor ministro disse, a segurança das pessoas. Convido os portugueses a passarem pelos quartéis para verem se há ou não bombeiros”, declarou numa entrevista à RTP.

Com as acusações a subirem de tom entre o governo e os bombeiros, o Presidente da República já veio apelar à moderação. Numa declaração à agência Lusa, Marcelo Rebelo de Sousa deixou um apelo “a todos os intervenientes no sentido de evitarem afirmações públicas que tornem depois mais difícil o diálogo e o entendimento num domínio muito sensível para os portugueses como é o da Proteção Civil e, mais em geral, o da sua segurança”.

 

Comente esta notícia