"Marta Soares traiu os sócios. É um embuste"

"Fui eleito pelos sportinguistas. Por isso, não me demito e ninguém me tira daqui", disse, ainda, Bruno de Carvalho.

Imagem: JN

Bruno de Carvalho respondeu à conferência de imprensa de Jaime Marta Soares, presidente demissionário da Mesa da Assembleia Geral (MAG) que questionou a legitimidade do presidente do clube em agendar as Assembleias Gerais de 17 e 21 de julho.

Ao seu estilo, o presidente do Sporting desafiou também Jaime Marta Soares a entregar as assinaturas necessárias para a realização de uma AG destitutiva, único argumento válido para o ex-presidente da MAG continuar a insistir com a marcação de tal Assembleia Geral.

“Somos um órgão eleito pelos sportinguistas. Foram a Mesa da Assembleia Geral e o Conselho Fiscal que apresentaram as demissões. Não fomos nós. Nós estamos legitimamente a cumprir o nosso mandato. A lei não nos obriga a apresentar demissão. Eles demitiram-se! Se não acreditam mais no projeto, adeus. Não fomos nós que os corremos, está a subverter-se tudo. Foram eles que se demitiram”, frisou o líder leonino.

“Ninguém falou da Assembleia Geral obrigatória para aprovação do orçamento. A mira deles é a AG de destituição. Foram eles que se demitiram e, a partir daí, tivemos de tomar atos de gestão. Não é com cartas labregas a ofender as pessoas que se vai a lugar nenhum. Se acham que a comissão transitória da mesa é ilegal, vão para tribunais. Mas não vão utilizar logotipos do Sporting a convocar pseudo-convocatórias. Quem os autorizou? Vão para a justiça e a justiça que decida”, prosseguiu.

“Estes pseudo-intelectuais acham que as pessoas vão continuar a acreditar nisto? Não mandámos ninguém embora, eles demitiram-se porque quiseram. Depois tivemos de tomar atos de gestão. A partir daí, cabe-lhes a justiça e deixar o Sporting em paz. Deixem a justiça correr ou estão com medo?”, questionou.

bruno-de-carvalho_Record

“Está marcada pelo Sporting para dia 17 uma AG obrigatória por causa de orçamento, um dos pontos vai ser ouvir os sportinguistas. Depois uma AG geral eleitoral para 21 de julho, para quem se foi embora e para os quais neste momento há comissões transitórias. Onde é que isto vai contra a democracia? Porque somos obrigados a demitir-nos? Onde está isso escrito na lei?”

“Metam as providências cautelares que quiserem e a lei depois decide. Até lá, resumam-se à sua significância de sócios e chega de querer aparecer. Aquela foi uma conferência ridícula, a todos os níveis. Aquilo não é a comissão fiscalização nem a MAG. Se um dia o tribunal decidir o contrário, perfeito. Não estamos em guerra, estamos a fazer o nosso trabalho e eles andam a incomodar-nos. Não queremos calar ninguém, vamos ouvir todos no dia 17. Estamos a cumprir a democracia, e isso é cumprir a lei. Quem acha que não estamos a cumprir vá para os tribunais. Até lá tem que acatar com as decisões”, sublinhou o presidente do clube de Alvalade.

“Jaime Marta Soares é um embuste. Os sportinguistas estão a sofrer um embuste. Se tem essas assinaturas todas, há um preponente – ele que venha e entreguem as assinaturas e realiza-se a AG destitutiva. Ele utilizou uma alínea ilegal – ele não vinha ouvir os sócios, vinha trair os sócios. Entregaram-lhe assinaturas, ele guardou-as e utilizou outro estratagema para marcar AG. Agora que entregue aos sócios que defraudou e eles que venham para marcarmos a AG destitutiva”, rematou.

 

Comente esta notícia