Jorge Jesus: "não preciso de escrever livros para sobreviver"

Na chegada a Lisboa, Jesus deixou algumas indiretas a Bruno de Carvalho a propósito das histórias que este conta no seu livro. "Se tiver de falar da minha passagem pelo Sporting, não escrevo um livro, escrevo 20 livros".

Jorge Jesus:
Imagem: CM

“Aprendi muita coisa na Arábia Saudita e uma é respeitar muito o futebol, independentemente das pessoas. […] Se tiver de falar da minha passagem pelo Sporting, não escrevo um livro, escrevo 20 livros. Como não preciso de escrever livros para sobreviver, trabalho no que sei, que é ser técnico”, referiu o ex-treinador do Sporting no Aeroporto Hunberto Delgado, na chegada a Lisboa.

De resto, o ex-treinador do Al Hilal admitiu que, se soubesse o que sabe hoje, não assinaria pelo Sporting de Bruno de Carvalho: “Não, impossível….”

Recorde-se que, no seu livro, Bruno faz duras críticas ao treinador, considerando que este foi o maior erro da gestão da sua presidência e que devia ter despedido Jesus quando pôde.

Jorge Jesus:

“O Jorge [Jesus] queria saber tudo. Todos os detalhes. Quais as bancadas que iriam estar abertas, quem subiria ao relvado, quem iria estar no relvado, quem falaria primeiro, quem falaria depois, como falaria, quando falaria, onde falaria. Assim estava ele antes da sua apresentação como treinador do Sporting Clube de Portugal. Nervoso. Muito nervoso. Mas satisfeito. E obcecado em ter a certeza de que ninguém iria roubar-lhe um pingo de protagonismo. Era ‘eu, eu e eu'”, lê-se ainda no livro de Bruno de Carvalho.

Jesus desvalorizou todas as opiniões de Bruno sobre a sua pessoa e deixou no ar que o que está a ser contado não passam de mentiras.

 

Comente esta notícia