Jovens em risco espancados durante anos no lar que os acolheu

Rapazes eram brutalmente espancados e as raparigas insultadas: "Isto não é um bordel de vacas", chegou a dizer o psicólogo do lar, localizado no Barreiro.

Jovens em risco espancados durante anos no lar que os acolheu
Imagem: G1

Jovens institucionalizados na Casa de Acolhimento Residencial da Cooperativa Rumo, no Barreiro, terão sido submetidos durante anos a espancamentos, maus-tratos e insultos pela ex-diretora técnica e por um psicólogo.

De acordo com a notícia avançada pelo JN, os rapazes eram sovados por se portarem mal na escola, as raparigas insultadas quando chegavam tarde ao lar e, durante quatro anos, nenhum recebeu assistência médica sequer para vacinas obrigatórias.

Os jovens em causa tinham sido retiradas às suas famílias, devido a situações de risco.

Jovens em risco espancados durante anos no lar que os acolheu

De acordo com um inquérito interno que resultou no despedimento dos dois funcionários, um rapaz foi levado na carrinha da Rumo para uma zona erma no parque industrial do Barreiro e foi sovado pelos responsáveis.

O mesmo jovem foi, a par de outro, agredido com cinto dentro da casa, no designado “quarto do adulto”. As raparigas eram insultadas. “Isto não é um bordel de vacas”, chegou a dizer o psicólogo.

 

Comente esta notícia