Júlia Pinheiro: "Fui alvo de violência obstétrica"

Depois de ter revelado que tinha sofrido um aborto e que sentiu que o marido a culpara pela perda do bebé, Júlia voltou a usar o seu programa para fazer nova revelação.

Júlia Pinheiro:
Imagem: MyWay

No decorrer de uma emissão do programa a que dá o nome, Júlia Pinheiro discutia com uma convidada o tema de experiências traumáticas que as mulheres vivem nos partos, referindo que, também ela, tinha vivido na pele uma dessas experiências.

“Hoje [quarta-feira, dia 5], quando me contaram a sua história, eu percebi que também tinha sido alvo de violência [obstétrica] e que à época, já lá vão 25 anos, não tinha percebido”, recordou a apresentadora, fazendo alusão ao nascimento das suas gémeas, Carolina e Matilde, fruto do casamento com o radialista Rui Pêgo.

Júlia Pinheiro:

E explicou: “Tive um parto gemelar e, sem eu ter sequer autorizado, estava uma turma de estudantes atrás de mim no momento em que estou a expelir o segundo bebé – foi um parto normal. E ninguém me perguntou se aqueles senhores poderiam estar todos ali. Ninguém me perguntou!”

Júlia Pinheiro, de 56 anos de idade, diz que só se apercebeu da situação quando, no momento do nascimento da segunda bebé, o obstetra afirmou: “Um excelente parto pélvico”. “E eu ouvi um coro de vozes atrás de mim: ‘Que lindo parto pélvico’. E eu disse: ‘Não está um coro atrás de mim?!’”

Júlia Pinheiro:

Recorde-se que a também diretora da SIC Caras recebeu, em outubro, a colega e amiga Andreia Rodrigues para falar dos dois abortos espontâneos que sofrera em 2016 e 2017. Nessa altura, Júlia revelou que “tinha, para aí, 28 anos” quando também ela perdeu um bebé.

“Não estive tão aflita como tu, talvez porque era mais jovem do que tu. […] Tive ali um momento complicado, mas senti muita culpa”, admitiu.

Júlia confessou ainda que sentiu que o marido a culpou pelo aborto. “Acho que – e deve ser a primeira vez que digo isto em público – o meu marido me culpou um bocadinho. […] Ele olhou para mim do género: ‘Não cuidaste’”, afirmou.

 

 

Comente esta notícia