[Vídeo]"Macaco" tenta expulsar Paulo Gonçalves de restaurante no Porto

Líder dos Super Dragões confrontou o ex-assessor jurídico da SAD do Benfica num restaurante na Foz do Douro. Vídeo do episódio foi partilhado por adeptos do FC Porto, mas Super Dragões dizem nada ter a ver com o incidente.

[Vídeo]
Imagem: JN

Acompanhado por duas pessoas, Paulo Gonçalves vê Fernando Madureira aproximar-se e ordenar-lhe, em tom agressivo, que saia daquele espaço. “Pira-te, mas é… Põe-te a andar”, disse o chefe da claque portista.

Paulo Gonçalves reagiu, dizendo: “Eu pago as contas…”

O diálogo prossegue, mas já não fica registado no curto vídeo, partilhado numa página de adeptos do clube da cidade Invicta. Sobre o incidente, os Super Dragões fizeram questão de reagir através de um comunicado no Facebook.

A claque portista diz que “não teve conhecimento ou participação nos actos que são imputados” a Macaco e que é com “surpresa e perplexidade que vê as imagens.”

Os Super Dragões acrescentam que “se sentem igualmente na necessidade de acrescentar que os actos que estão a ser assacados ao indivíduo Fernando Madureira nada têm a ver com o prosseguimento do interesse e objecto da entidade colectiva”, manifestando “convicção e confiança de que Madureira poderá demonstrar a licitude de todos os seus procedimentos e condutas.”

Eis o comunicado da claque portista na íntegra:

A Associação Super Dragões “não teve conhecimento ou participação nos actos que são imputados” a Fernando Madureira, que sempre “deu mostras de competência e integridade” no desempenho do seu papel de assessor para a administração da claque.

É, portanto, com “surpresa e perplexidade” que vemos as imagens que têm sido divulgadas pelos órgãos de comunicação social, “sejam as mesmas verdadeiras ou não (o que se desconhece, mas no que se quer crer)”, e obtidas de forma lícita ou não, com o consentimento dos envolvidos.

A Associação Super Dragões sente-se igualmente na necessidade de acrescentar que os actos que estão a ser assacados ao indivíduo Fernando Madureira “nada têm a ver com o prosseguimento do interesse e objecto da entidade colectiva”.

Reafirmamos, assim, a nossa “convicção e confiança” de que o Fernando Madureira “poderá demonstrar a licitude de todos os seus procedimentos e condutas”.

E este é o vídeo do momento de tensão >>

 

Comente esta notícia