Mãe quis ter bebé que não ia sobreviver para doar os órgãos

Os médicos informaram-na que a bebé que carregava não ia sobreviver, devido a não ter parte do cérebro. Ainda assim, esta mãe decidiu não abortar para que pudesse doar os órgãos da filha.

Mãe quis ter bebé que não ia sobreviver para doar os órgãos
Imagem: Media Corporation

Keri Young e o marido Royce, um casal de Okhlahoma, nos EUA, estavam à espera da segunda filha quando descobriram que um problema durante a gestação tinha feito com que o bebé se desenvolvesse sem parte do cérebro.

O feto que carregava sofria de anencefalia, uma malformação que consiste na ausência de cérebro ou de parte dele. Na prática, significa que o feto morre ainda na barriga da mãe ou, no melhor dos cenários, nas primeiras horas de vida.

Mãe quis ter bebé que não ia sobreviver para doar os órgãos

Os médicos aconselharam o casal a avançar para um aborto induzido, mas Keri quis ter o bebé ainda assim. Apesar do sofrimento da perda, a norte-americana quis levar a gravidez por diante, para poder doar os órgãos da criança e, assim, poder salvar outras vidas.

“Eva vai ter uma vida, ainda que seja curta. Ela vai doar tudo que puder e vai fazer mais durante o seu tempo na Terra do que eu jamais farei”, defendeu esta mãe.

O casal, que tem um filho de 2 anos, fez ainda questão de contar, nas redes sociais, que, apesar do sofrimento pela perda da Eva, arranjaram, assim, uma forma de sentir felicidade em vez de desespero.

 

Comente esta notícia