Médicos do São João suspensos por amputarem mama saudável

Submeteu-se a uma cirurgia no Hospital de São João, no Porto, para fazer uma mastectomia à mama direita, na qual tinha tido cancro. Acordou e também não tinha a esquerda.

Médicos do São João suspensos por amputarem mama saudável
Imagem: JN

Susana Tomé foi diagnosticada com cancro da mama e viu-se obrigada a fazer uma mastectomia à mama direita. Submeteu-se à cirurgia no Hospital de São João, no Porto, mas, quando acordou da anestesia, apercebeu-se que lhe tinha sido retirada também a mama esquerda, sem a sua autorização.

“Propuseram-me fazer mastectomia total, com reconstrução imediata, das duas mamas. Eu não quis, porque uma nunca tinha estado doente”. Acabou por consentir a mastectomia à direita e “a simetrização da mama esquerda, com eventual prótese de gel de silicone”. Mas não foi isso que acabou por acontecer: retiraram-lhe na mesma as duas.

Médicos do São João suspensos por amputarem mama saudável

Álvaro Silva e José Luís Fuogo, os dois médicos responsáveis pelo erro, acabaram punidos, entretanto, pela Ordem dos Médicos, com 10 e 21 dias, respetivamente, de suspensão.

A decisão foi confirmada, este mês, pelo Conselho Superior da Ordem. Mas a luta de Susana, por uma parte do seu corpo “que não é recuperável”, continua. Tal como avança o JN, nos próximos dias, Susana vai dar entrada de um processo cível contra os médicos, no Tribunal Administrativo do Porto.

A Ordem dos Médicos apurou que os dois clínicos cometeram o erro devido a uma “falha de comunicação” e cometeram “infracções graves, praticadas com negligência grosseira”.

 

Comente esta notícia