Ministra brasileira diz que mulheres devem ser submissas aos homens

Ministra brasileira da Mulher, Família e Direitos Humanos está envolvida em nova polémica. Diz-se contra as conquistas e a emancipação alcançadas pelas mulheres nos últimos anos e frisou que no casamento é o homem que manda.

Ministra brasileira diz que mulheres devem ser submissas aos homens
Imagem: CM

Numa nova declaração polémica, a ministra brasileira da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, disse que é totalmente contra as conquistas e a emancipação alcançadas pelas mulheres nos últimos anos.

Damares Alves, pastora evangélica que se autodefine como “radicalmente cristã” e que falava numa audiência na Câmara dos Deputados, em Brasília, foi mais longe e afirmou que, no casamento, é o homem quem manda.

“Dentro da nossa igreja, nós entendemos que no casamento entre homem e mulher, o homem é o líder”, defendeu Damares, esquivando-se de responder objetivamente a perguntas de deputadas sobre se a flexibilização da posse de armas permitida por Bolsonaro não aumentou o risco das mulheres vítimas de violência doméstica.

Ministra brasileira diz que mulheres devem ser submissas aos homens

“Isso quer dizer que a mulher tem de baixar a cabeça para o agressor, para certos homens que estão aí, não. Mas, na minha conceção cristã, no casamento a mulher deve ser submissa ao homem.”

Extremista religiosa como vários outros ministros do governo do presidente Jair Bolsonaro, Damares Alves tem colecionado polémicas públicas sucessivas e de grande repercussão, a que não se furta e de que até parece gostar, por causa das suas ideias pouco contemporâneas.

Entre elas a de que quem usa azul é menino e quem usa rosa é menina, numa negação da diversidade sexual, e a defesa de que os pais ensinem os filhos em casa para evitarem ser contaminados na escola com ideias que podem afastá-los da família e da igreja.

 

Comente esta notícia