Mulher em estado vegetativo há 10 anos deu à luz

Encontrava-se em estado vegetativo, depois de há cerca de 10 anos ter sofrido lesões cerebrais permanentes. Deu à luz no final de dezembro e a polícia já está a investigar o caso.

Mulher em estado vegetativo há 10 anos deu à luz
Imagem: Sapo

O caso foi descoberto quando, a 29 de dezembro, uma paciente que se encontrava em coma, na Hacienda HealthCare, em Phoenix, nos Estados Unidos, ter começado a gemer sem razão aparente.

“Não sabiam o que se passava com ela. Ninguém no staff tinha conhecimento de que ela estava grávida quase até ao momento de dar à luz”, explicou uma fonte não identificada à televisão local KPHO. Nesse dia, nasceu um bebé saudável, do sexo masculino, com a ajuda dos profissionais de saúde da instituição.

As autoridades foram chamadas ao local para investigar o caso, uma vez que a mulher se encontrava em estado vegetativo há cerca de 10 anos, depois de quase se ter afogado e de ter ficado com lesões cerebrais permanentes.

Mulher em estado vegetativo há 10 anos deu à luz

A polícia está a tentar perceber o que aconteceu e quem falhou na proteção de uma pessoa sem capacidade para reagir e defender-se. Ao jornal “Washington Post”, a polícia de Phoenix confirmou que está a investigar o caso, mas não revelou mais detalhes.

A instituição médica, onde a paciente em questão se encontrava internada 24 horas por dia, tornou público que está empenhada em saber a verdade sobre o caso, que considera “sem precedentes”. Internamente, a instituição, que no total das suas clínicas trata de cerca de 2500 pessoas por ano, já lançou uma investigação para “garantir que todos os residente estão a salvo”.

Certo é que o clima de insegurança já se instalou na instituição. Ao mesmo jornal, uma mãe garantiu que passou a dormir na clínica, onde a filha de 22 anos está internada, para garantir que nada lhe acontece até que o abusador seja encontrado. “Ela não consegue andar ou falar, mas ela percebe”, explicou, depois de dizer não saber se a filha foi vítima de algum tipo de abuso.

 

Comente esta notícia