Perde as mãos e as pernas depois de o seu cão lhe transmitir bactéria

Bactéria foi transmitida por uma lambidela do seu pastor alemão numa ferida exposta. Infeção alastrou-se e progrediu para sepsis.

Perde as mãos e as pernas depois de o seu cão lhe transmitir bactéria
Imagem: People

Marie Trainer acordou numa cama do hospital Stark County, em Ohio (Estados Unidos), com as mãos e pernas amputadas, depois de ter contraído uma infeção grave, que progrediu para sepsis, e se alastrou pelo seu corpo.

A doença foi detetada depois de Trainer regressar de uma viagem a Punta Cana, quando já se tinha espalhado pela cara (nariz e orelhas) e pelas pernas. Os médicos acabaram por concluir que a infeção não foi contraída durante a viagem, mas através de uma bactéria transmitida por uma lambidela do seu pastor alemão numa ferida exposta. A americana fez oito cirurgias, até ao momento, e está a ser preparada para utilizar próteses.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC), é extremamente raro esta bactéria ser transmitida a seres humanos, mas quando isso acontece, é geralmente através de mordidas, arranhões ou outro tipo de contacto próximo com cães e gatos, sendo que pessoas com sistemas imunitários enfraquecidos, caso dos doentes de cancro, estão expostas a um risco maior.

perde maos e pernas

“A causa foi difícil de identificar. Passamos por todos os diagnósticos até podermos restringir as possibilidades,” conta Margaret Kobe, diretora clínica do departamento de doenças infecciosas no Hospital Aultman, em Ohio, que atendeu Trainer. “A família procurou uma segunda opinião, na esperança de salvar os membros de Trainer. Mas os médicos disseram que o dano já tinha sido feito. Os exames de sangue confirmaram o diagnóstico de Capnocytophaga”.

“Isso está fora da escala, um dos piores casos que já vimos, em termos de progressão das infeções”, “ela estava perto da morte”, acrescentou a médica.

Já Marie disse: “Tem sido um caminho tão difícil de percorrer, que eu não saberia o que faria sem eles [os familiares]”. “Estou tão pronta para seguir em frente. Eu quero ir para casa, quero voltar para o trabalho”.

 

Comente esta notícia