Portimão: mulher incendeia a casa após ordem de despejo

Regou o apartamento com gasolina e ateou o fogo, causando uma forte explosão. Isto depois de saber que o apartamento tinha sido penhorado pelo banco.

Portimão: mulher incendeia a casa após ordem de despejo
Imagem: CM

Ancha Júlio Martins, de 38 anos de idade, recebeu uma ordem de despejo depois do apartamento T3 onde residia há cerca de 8 anos, no Algarve, ter sido penhorado pelo banco.

Confrontada com a execução do imóvel, a mulher regou o apartamento com gasolina, provocando uma explosão no 7º andar do Lote 1 da Avenida 25 de Abril, em Portimão.

A mulher está agora acusada dos crimes de incêndio e de dano qualificado. Divorciada e desempregada tinha cedido os quartos a outras pessoas, para ganhar algum dinheiro.

De acordo com o Ministério Público, depois de ter recebido a visita de duas assistentes sociais, que lhe explicaram que teria de abandonar a casa, comprou um jerricã de 10 litros, que encheu de gasolina num posto de abastecimento. Dois dias depois, quando os hóspedes não estavam na habitação, entrou na casa e “derramou cerca de sete litros da gasolina em vários locais dos quartos, ateando-lhes fogo”.

A situação, refere a acusação, citada pelo CM, “causou uma forte explosão” de que resultaram danos em toda a casa e imóveis contíguos, bem como em diversas viaturas que se encontravam estacionadas nas redondezas do prédio.

A arguida encontra-se atualmente em prisão preventiva no Estabelecimento Prisional de Odemira à espera do julgamento.

 

 

Comente esta notícia