Português fez bomba falsa para ser herói em Inglaterra

Emigrante português de 46 anos foi condenado a 2 anos de prisão por ter colocado um falso engenho explosivo num centro comercial. Em tribunal disse que "queria ser o herói" que ia descobrir a bomba.

Português fez bomba falsa para ser herói em Inglaterra
Imagem: JN

Sérgio Costa, emigrante português, de 46 anos de idade, foi condenado, em Inglaterra, a dois anos de prisão efetiva depois de ter colocado um falso engenho explosivo nas casas de banho do centro comercial onde trabalha a fazer limpezas.

A “bomba” era composta por baterias de um carro de brinquedo, a que juntou fios e um pó branco. “Era a brincar”, admitiu o português em tribunal. O objetivo era ser ele a descobrir o engenho e assim ser considerado o herói.

Sérgio Costa alertou a segurança do edifício que estava uma bomba depositada nas casas de banho. De imediato, o centro comercial foi encerrado, a unidade de explosivos da polícia inglesa chamada e foi estabelecido um cordão de segurança de 100 metros nas ruas em redor.

A juíza que presidiu ao seu julgamento considerou que as suas ações “foram cuidadosamente orquestradas”. “Você devia ter percebido que causaria grande medo” aos colegas e ao público, disse a magistrada.

.O advogado de defesa ainda alegou que Sérgio Costa sofreu “o que descreveríamos como um colapso mental”. Fez a bomba falsa como uma “tentativa patética” de tentar ser um “herói” e está arrependido de suas ações, acrescentou o advogado. Além disso, um relatório médico apresentado em tribunal apontou que Costa sofre de doença mental e que já tinha desmaiado duas vezes como resultado do stress no trabalho.

Nada disto convenceu o tribunal que aplicou mesmo a pena de prisão e ainda o condenou a pagar 200 euros de custas judiciais.

Sabe-se que o centro comercial esteve fechado mais de 8 horas por causa do incidente. A administração disse ter perdido mais de 400 mil euros em receitas como resultado do encerramento.

 

 

Comente esta notícia