Professor que doava ordenado a alunos carenciados ganhou 1 milhão

O professor de matemática e física, que também é frade franciscano, recebeu a recompensa pelo seu bom coração. Foi selecionado para o prémio "Global Teacher Prizer" e ganhou o título do "melhor professor do mundo" (bem como 1 milhão de dólares).

Professor que doava ordenado a alunos carenciados ganhou 1 milhão
Imagem: DN

Peter Tabichi tem 36 anos e é professor de matemática e física numa zona rural do Quénia. Na sua escola, na vila de Pwani, há apenas um professor para 58 alunos, um único computador e fraco acesso à internet.

Os jovens da escola secundária Keriko Mixed Day, onde Tabichi dá aulas, enfrentam inúmeras dificuldades, desde a falta de comida à toxicodependência, passando por gravidezes e casamentos na adolescência.

Quase todos os seus alunos vêm de famílias pobres e cerca de um terço são órfãos ou têm apenas um progenitor. Todos os meses, o professor dá cerca de 80% do seu ordenado para ajudar estes alunos.

Professor que doava ordenado a alunos carenciados ganhou 1 milhão

Mas agora o esforço de Peter Tabichi, que também é frade franciscano, foi recompensado: no domingo, ele recebeu o prémio de melhor professor do mundo atribuído pela Varkey Foundation e com ele um milhão de dólares (mais de 800 mil euros).

“Em África, todos os dias viramos uma página, esta é apenas mais uma”, disse o professor. “Este prémio não me distingue a mim, distingue todos os jovens deste grande continente. Só estou aqui por causa do que os meus alunos conseguiram. Este prémio abre-lhes oportunidades. Diz ao mundo que eles podem fazer tudo o que quiserem.”

Tabichi orienta clubes de matemática e de ciência e consegue motivar de tal forma os alunos que eles já competem em concursos nacionais e internacionais.

Professor que doava ordenado a alunos carenciados ganhou 1 milhão

Um grupo de alunos ganhou, inclusivamente, um prémio da Royal Society of Chemistry com um projeto que usa plantas locais para gerar energia. Para tornar as aulas mais interessantes, o professor frequenta internet cafes e descarrega material que depois pode usar nas aulas em modo offline. E quando é necessário vai a casa dos alunos para lhes dar aulas particulares.

A cerimónia foi realizada no Dubai, sendo que o Global Teacher Prize foi disputado por 10 mil professores de 179 países, incluindo Portugal.

 

Comente esta notícia