"Quando viro à direita em Portugal, a direita não nota"

Quem o disse foi o presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, durante as comemorações do dia nacional de Andorra.

Imagem: Expresso

O presidente da República comentou, esta sexta-feira, com emigrantes portugueses em Andorra, que Portugal “está a crescer”, sublinhando, mais uma vez, estar surpreendido com a gerigonça. Porém, também partilhou que quando vira à direita, “a direita não nota”, deixando, assim, um recado à oposição.

“Agora viramos à direita, coisa que eu em Portugal já não faço há algum tempo”, observou a certa altura, acrescentando: “De vez em quando faço, mas a direita não nota. Eu quando viro à direita em Portugal, a direita está distraída a bater na esquerda, não nota. Em vez de aproveitar, não nota”.

No dia nacional de Andorra, Marcelo esteve presente no Santuário de Nossa Senhora de Meritxell, onde assistiu a uma missa em honra da padroeira do principado, e apenas recusou selfies quando lhe pediram que se aproximasse de uma ravina para o fazer, brincando com a situação dizendo: “Essa sugestão só podia partir de alguém ‘feito’ com a oposição” e interrogou: “Quem será a oposição ao Presidente que ama todos os portugueses?”

Depois, deu a resposta: “Não há oposição. Tem de ser alguém muito distraído. Com quotas de popularidade de 80 e tal por cento, tem de ser alguém muito distraído”.

À conversa com o ministro do Interior de Andorra, Xavier Espot Zamora, Marcelo Rebelo de Sousa falou do início do seu percurso político e considerou que “a política é cada vez mais difícil”.

 

 

Comente esta notícia