"Queridas Manhãs" chega ao fim: "A luz desligou-se. Faz-se silêncio"

Foi com uma mensagem emotiva que Cláudio Ramos, que assumiu a apresentação do programa aquando da saída de Júlia Pinheiro para as tardes da SIC, assinalou o fim definitivo de um dos programas mais queridos dos portugueses.

Imagem: Flash

Chegou, esta quinta-feira, ao fim o “Queridas Manhãs”. Cláudio Ramos, que assumiu a apresentação do programa depois de Júlia Pinheiro ter passado para as tardes da SIC, assinalou o fim de um ciclo com uma emotiva mensagem nas redes sociais.

“Quando se desliga a luz. Quando se fecha a porta. Quando fica vazio de gente. Um estúdio não é um amontoado de contraplacado. Um estúdio é uma alcofa cheia de histórias que guarda consigo”, começou por escrever na legenda de uma fotografia com caráter nostálgico.

“Depois de deixar de sentir o respirar da gente, fica frio”, prosseguiu. “As tábuas que o erguem serão amontoadas, cheias de histórias, em cima umas das outras. No estúdio como na vida. Televisão é vida. A porta de ferro fechou-se. A luz desligou-se.”

Agora, “faz-se silêncio, não para gravar, mas porque já não há cá ninguém”, continuou, acrescentando: “Obrigado a todos os que aqui respiraram e que ajudaram outros tantos a fazê-lo!”… “O futuro é já a seguir”.

Cláudio Ramos despediu-se assim do “talk show” que ocupou as manhãs da estação de Carnaxide nos últimos quatro anos e no qual colaborava desde a sua estreia – nos últimos dois meses a apresentar.

 

Comente esta notícia