“Quero que os meus inimigos me continuem a atacar”

As palavras são de Pinto da Costa. O presidente do FC Porto deu uma entrevista na qual falou sobre o plantel dos dragões, das possíveis entradas e saídas...e aproveitou para lançar umas farpas aos rivais.

“Quero que os meus inimigos me continuem a atacar”
Imagem: Ambidestro

Dias após ter completado o 81.º aniversário, Pinto da Costa concedeu uma entrevista ao Jornal de Notícias, na qual revelou os objetivos pessoais e também os do FC Porto para o ano de 2019.

“Quero ter uma vida normal e que os meus inimigos me continuem a atacar e a difamar. É sinal de que tenho saúde. Normalmente, quando as pessoas estão doentes, às vezes até sem saberem, começa a dizer-se: “Ah, afinal ele é bom tipo”, começou por dizer.

“Espero que demore muitos anos até que aqueles que me atacam venham dizer que eu afinal sou boa pessoa”, acrescentou.

“Quero que os meus inimigos me continuem a atacar”

O líder portista aproveitou também para desvalorizar o recorde de 16 vitórias consecutivas na história do clube, garantido no passado domingo com o 2-1 no Jamor, sobre o Belenenses.

“Não ligo nada a isso e estou totalmente de acordo com o Sérgio Conceição quando ele diz que ninguém vai para os Aliados por causa de recordes. Isso é para encher jornais. (..) Se batermos os recordes, e em vez de 16 ganharmos 40 jogos seguidos, de certeza que festejaremos não o facto de os ganharmos, mas o facto de conquistarmos o bicampeonato”, prosseguiu.

Pinto da Costa falou ainda sobre as mexidas no plantel e garantiu que o FC Porto vai manter os “jogadores essenciais” para a “concretização dos objetivos”.

 

Comente esta notícia