Tragédia de Borba: sobreviventes contam tudo o que se passou

Ainda em recuperação, operários que estavam na pedreira de Borba quando a estrada colapsou, disseram que uma das vítimas faleceu porque tentou salvar uma das máquinas.

Tragédia de Borba: sobreviventes contam tudo o que se passou
Imagem: Sapo

Os sobreviventes da tragédia de Borba, operários que estavam na pedreira quando a Estrada Municipal 255 colapsou, falaram sobre o horror que tiveram a infelicidade de presenciar e lamentaram a morte de Gualdino Pita e de João Xavier.

Disseram, em declarações ao CM, que viram os companheiros – que trabalhavam junto a uma máquina giratória – a serem arrastados por toneladas de pedra e de terra.

Recordaram que, quando as pedras começaram a cair, desataram todos a fugir. Dois deles, que estavam muito perto dos colegas que perderam a vida, tentaram alertá-los para o perigo. “Fujam, fujam” gritaram os sobreviventes, que ontem foram ouvidos pelas autoridades.

Tragédia de Borba: sobreviventes contam tudo o que se passou

João Xavier – que faria 59 anos do dia seguinte – correu para tentar salvar a máquina, decisão que lhe custou a vida. Um dos operários que ficou ferido descreveu o cenário macabro: “Foi tudo muito rápido. As primeiras pedras eram enormes e caíram na água da pedreira desativada, provocando uma onda gigante que caiu em cima de nós. Atirei-me ao chão com os meus colegas e pensei ‘já fui’. Quando abri os olhos, eles tinham desaparecido.”

Apesar de ainda estarem em recuperação, frisaram que as mazelas físicas são muito insignificantes quando comparadas com as psicológicas. “São momentos muito difíceis, de luto. Vai ser difícil esquecer a imagem do meu colega que morreu e cujo corpo foi encontrado em posição fetal”, descreveu, em lágrimas, um outro operário. Passaram nove dias. A operação de resgate centra-se agora nas três pessoas que iam de carro quando a estrada desabou.

 

 

Comente esta notícia