TVI arrasada após reportagem sobre como "curar a homossexualidade"

Psicóloga defendeu ser possível curar a homossexualidade, que considerou ser "um surto psicótico". Estação volta a estar debaixo de fogo.

TVI arrasada após reportagem sobre como
Imagem: PTJornal

Esta quinta-feira à noite, a estação de Queluz de Baixo deu mais um argumento aos seus críticos, emitindo em horário nobre uma reportagem sobre uma organização, de inspiração cristã, que acredita ser possível… curar a homossexualidade.

A principal convidada do programa foi Maria José Vilaça, uma psicóloga que defende ser possível curar aquilo que considerou ser “um surto psicótico”.

De imediato, dispararam nas redes sociais as exigências para a Ordem dos Psicólogos abrir um processo disciplinar a esta profissional. “Estou parva com uma psicóloga que afirma ser [a homossexualidade] uma doença ou um surto psicótico”, escreveu uma internauta, no Twitter.

TVI arrasada após reportagem sobre como “curar a homossexualidade”

Confrontada com testemunhos de pessoas que criticaram as suas declarações e forma de pensar, Maria José Vilaça abandonou o estúdio, em direto, deixando a jornalista e mais dois convidados literalmente pendurados.

Este grupo secreto, dedicado às “terapias de conversão”, será formado por psicólogos, psiquiatras, padres e figuras ligadas ao catolicismo.

Depois de criticada por dar espaço a militantes de extrema-direita – primeiro com a entrevista a Mário Machado; depois, a Alexandre Frota (embora este não tenha comparecido) – a TVI volta a ser acusada de estar a assumir uma posição ideológica, inclinada para a extrema-direita.

 

Comente esta notícia