Varandas em guerra com a Juve Leo

O presidente mudou as regras de financiamento das claques do Sporting, cortando benesses que Bruno de Carvalho tinha dado. Só a Juve chegava a embolsar 14 mil euros por cada jogo em casa, na venda de bilhetes.

Varandas em guerra com a Juve Leo
Imagem: CM

No decorrer das eleições para a presidência do Sporting, Frederico Varandas tinha garantido que, com ele, muita coisa ia mudar no clube de Alvalade. Prometeu e está a cumprir.

O atual presidente mudou as regras de financiamento das claques do Sporting, nomeadamente da Juve Leo, cortando com benesses que eram anualmente negociadas entre o anterior presidente, Bruno de Carvalho, e as chefias das claques.

Sabe-se que só a Juve chegava a embolsar 14 mil euros por cada jogo em casa, na venda de bilhetes concedidos pela direção. Mas Frederico Varandas não se ficou por aqui. Cortou também com as viagens ao estrangeiro oferecidas a elementos das claques no avião da equipa principal.

O financiamento está, assim, na origem da tensão entre Frederico Varandas e a Juve Leo, cujos elementos viraram esta quinta-feira as costas ao presidente durante a visita ao núcleo dos leões em Londres, antes do jogo com o Arsenal. Queixam-se de Varandas não ter cumprimentado Mustafá, chefe da claque, à chegada ao local.

Varandas em guerra com a Juve Leo

Fonte próxima do presidente já rejeitou as acusações, alegando que este não terá visto Mustafá “no meio de 200 pessoas”. Da parte da claque, lamentam ainda não terem reunido com o presidente desde a sua eleição.

Segundo o CM, a direção de Bruno de Carvalho chegava a dar à Juve Leo cerca de 400 bilhetes (de 20 euros) por jogo em casa. Além disso, vendia-lhes outros 600 a metade do preço. Tudo revendido, permitia à chefia da claque amealhar dezenas de milhares de euros – algo que a gestão de Frederico Varandas está a pôr em causa. A relação do clube com a claque deteriorou-se após a invasão a Alcochete.

 

 

Comente esta notícia