Vieira ameaçado com Assembleia destitutiva: caso Jonas é imperdoável

Um dos seus principais críticos, Rui Gomes da Silva, já disse que Jonas, " o melhor avançado do século XXI no Benfica", foi empurrado para as arábias por quem renovou com Luisão até aos 38 anos”.

Vieira ameaçado com Assembleia destitutiva: caso Jonas é imperdoável
Imagem: CM

São já mais de 5 mil os votos angariados num petição para uma Assembleia-Geral destitutiva, criada por um grupo de sócios encarnados através do Facebook, avança o Record. São precisos 10 mil votos para assegurar a realização da referida AG tendo em vista a saída da direção encabeçada por Luís Filipe Vieira.

Ao mesmo jornal, os organizadores disseram acreditar que o número será alcançado, uma vez que pouco mais de metade do montante exigido foi alcançado em cerca de 72 horas. De resto, o número até poderá ser maior, pois alguns dos subscritores não colocaram o número de votos a que têm direito, face aos anos de filiação.

Sabe-se que a saída de Jonas poderá ter sido a gota de água, deixando muitos sócios/adeptos descontentes. Um deles, Rui Gomes da Silva (na imagem), ex-vice-presidente do Benfica queixou-se disse mesmo no blogue Geração Benfica.

Vieira ameaçado com Assembleia destitutiva: caso Jonas é imperdoável

“Luís Filipe Vieira empurrou Jonas para as arábias” por alegados problemas físicos. “O melhor avançado do século XXI no Benfica” vai sair pelo valor “que custou um Arango ou um Francisco Vera”, começou por escrever Rui Gomes da Silva.

“O negócio vai sendo feito depois de noticiada a insatisfação de Jonas com o salário de 1,5 milhões de euros limpos por ano, numa pré-época em que chegou um reforço (Ferreyra) a ganhar dois milhões limpos”, prosseguiu.

 

“Sendo Jonas o melhor avançado do século XXI no Benfica, é natural que tenha proposto uma renovação por dois anos pelo mesmo montante que Ferreyra passou a ganhar”, salientou o ex-dirigente, considerando que seria “da mais inteira justiça” renovar com o avançado, até por “uma questão de reconhecimento”.

Vieira ameaçado com Assembleia destitutiva: caso Jonas é imperdoável

A consumar-se essa saída “para o mesmo clube de Jorge Jesus”, será realizada por uma verba a rondar os 4,5 milhões de euros, “quase o mesmo valor que custou um Arango ou um Francisco Vera”.

Lembrando as várias declarações do brasileiro a realçar que pretendia acabar a carreira no Benfica, Rui Gomes da Silva criticou ainda o argumento da “saúde” que terá sido alegado por Vieira para recusar a renovação.

“Não houve qualquer problema em renovar com o Mantorras, durante anos a fio. Não houve qualquer problema em renovar com Luisão até aos 38 anos, quando já há dois ou três anos deveria ter ido para a ‘reforma”, comparou.

 

Comente esta notícia