Vieira destaca "presente de estabilidade" do Benfica

E elogiou Jorge Jesus e Rui Vitória, os treinadores responsáveis pelos títulos e pela estabilidade atingida na última década.

Vieira destaca
Imagem: Record

Luís Filipe Vieira elogiou esta quinta-feira os feitos de antigos campeões europeus de futebol, destacando a importância da “memória”, mas também do “presente” de “estabilidade”, com vista ao futuro do clube.

O presidente do Benfica discursava no Auditório António Almeida Santos, no edifício novo da Assembleia da República. Após as declarações do líder encarnado, seguiu-se um jantar solidário também organizado pela Associação de Benfiquistas no Parlamento (ABP) em honra das equipas vencedoras da Taça dos Clubes Campeões Europeus em 1961 (Berna) e 62 (Amesterdão).

“Portugal foi pioneiro na globalização, através dos Descobrimentos. O Sport Lisboa e Benfica foi pioneiro na globalização do futebol português. É uma instituição que sempre soube projetar, dignificar e honrar o nome de Portugal”, afirmou Vieira sobre os diversos protagonistas, incluindo dirigentes e técnicos, das “conquistas pioneiras” que confirmaram o Benfica como “referência desportiva nacional e internacional”.

Fez também questão de sublinhar que “é reconhecido por todos o crescimento” do Benfica nos últimos anos, “em infraestruturas, património, conciliação financeira e resultados desportivos”, pois o clube é agora visto “como exemplo de gestão desportiva em termos internacionais, um reconhecimento só possível graças ao ciclo de estabilidade” criado.

Vieira destaca

“Na última década invertemos o ciclo de vitórias existente no futebol português, conquistando 17 títulos, mais do que qualquer outro clube. Para isso, muito contribuiu a estabilidade que imprimimos a este projeto, bem exemplificado pelo facto de o Benfica, nesse período, apenas ter tido dois treinadores, Jorge Jesus e Rui Vitória”, vincou.

Antes, António Simões, um dos homenageados e que protagonizou polémica recente com a direção, queixando-se de ter sido “censurado” pela BTV, enalteceu as “fantásticas epopeias” em que participou com restantes colegas de equipa, dos quais disse não serem apenas do Benfica, mas serem ‘o Benfica’, tal como o próprio dissera de si há pouco tempo, lamentando que as suas palavras tenham sido interpretadas como “delírio” ou “impulso de vaidade”.

“Foi a memória dos vossos feitos que nos desafiou a querer transformar a excecionalidade das vossas conquistas em algo de estrutural. Portugal é esta quinta-feira referência internacional em várias áreas. O futebol é uma das maiores manifestações sociais, uma relevante indústria da economia nacional e uma plataforma para a internacionalização do país”, afirmou ainda Luís Filipe Vieira.

Recorde-se que a ABP, fundada em junho de 2016 para congregar deputados, antigos parlamentares e funcionários e assessores do Palácio de São Bento, conta com personalidades de PSD, PS, CDS-PP, PCP e PEV.

 

 

Comente esta notícia