Vieira garante Rui Vitória até ao final do contrato

O líder dos encarnados falou ainda sobre o seu futuro à frente do Benfica e partilhou que tem a intenção de se recandidatar, pelo menos, a mais um mandato.

Vieira garante Rui Vitória até ao final do contrato
Imagem: Record

Luís Filipe Vieira garantiu, numa entrevista à TVI, que, por sua vontade, Rui Vitória vai cumprir o seu contrato de treinador da equipa de futebol até ao fim, independentemente dos resultados.

Desvalorizando a revelação da chamada telefónica que foi divulgada na internet, na qual o presidente do Benfica surgia a negociar uma possível venda do técnico em Dezembro de 2017, o presidente do Benfica deu o seu voto de confiança ao atual treinador.

“O Rui Vitória tem feito um trabalho fantástico. Consegue ter sempre equipas fantásticas, competitivas, nunca esquecendo a formação do Benfica. É o homem certo para o projecto que o Benfica quer. Por minha vontade garanto que ele será o treinador até ao final do seu contrato [2020]. Só se ele não quiser ficar”, declarou.

E Vieira foi mesmo mais longe. “Se o Rui Vitória saísse neste momento era altamente prejudicial para o Benfica.”

Vieira garante Rui Vitória até ao final do seu contrato

No que diz respeito aos vários casos judiciais que envolvem o clube da Luz, Filipe Vieira assegura que o emblema “encarnado” não cometeu nenhuma ilegalidade. “Se algum dia se provar que o Benfica teve ou praticou atos menos lícitos e que levam à corrupção ou se houver atos de corrupção, garanto que me demito”, prosseguiu.

Já em relação a Paulo Gonçalves, constituído arguido no caso “e-Toupeira” e ex-assessor jurídico dos “encarnados”, Luís Filipe Vieira frisou que se trata de uma pessoa da sua confiança e da confiança do Benfica. “É meu amigo e eu sou amigo dele”, afirmou. Embora, logo a seguir, tenha acrescentado: “Não misturo o Paulo Gonçalves com o Benfica.”

Quanto ao futuro, confessou que tem a intenção de se recandidatar, pelo menos, a mais um mandato. E deixou ainda a porta aberta para continuar por mais tempo depois disso: “Se tiver de fazer mais vou fazer.”

 

Comente esta notícia