Viola bebé de 14 meses e deixa-a com ferimentos muito graves

Pediatra disse que foram os “ferimentos mais graves” que tinha visto ao longo de toda a sua carreira médica. O homem justificou o crime dizendo que a culpada pelos acontecimentos é a mãe da vítima, sua amiga.

Viola bebé de 14 meses e deixa-a com ferimentos muito graves
Imagem: Sol

Alan Kusz, escocês de 43 anos de idade, violou uma menina de 14 meses e os ferimentos foram tão graves que a bebé teve de ser submetida a uma cirurgia de urgência. Aliás, o pediatra que a acompanhou desde o primeiro momento referiu em tribunal que foram os “ferimentos mais graves” que já tinha visto.

Condenado a 10 anos de prisão pelo crimes, o escocês defendeu-se dizendo que a culpada pelos acontecimentos é a mãe da vítima, sua amiga. “Saí de casa para passear o cão, e quando cheguei a bebé, que estava em casa com a mãe, estava a gritar desalmadamente”. O juiz do Supremo Tribunal de Glasgow não acreditou na versão do agressor, pois as provas de ADN diziam o contrário.

Segundo o juiz, citado pelo “Daily Record”, Kusz tem “consciência e empatia limitadas” acerca do sofrimento que provocou à vítima “vulnerável” e criticou-o por continuar a negar os crimes que cometeu.

viola bebe de 14 meses

O magistrado acrescentou ainda que o autor dos relatórios anteriormente mencionados lhe explicou que Kusz “não compreende as ofensas que levou a cabo e apresenta um risco significativo de reincidência”. O juiz avançou também que, como a sociedade nutre aversão por uma conduta deste cariz, o papel dos tribunais é refletir acerca da mesma e prestar cuidados e proteção a quem é alvo dos abusos dos predadores.

Em tribunal, Armstrong disse também que a menor recuperou da cirurgia mas é “difícil” prever aquilo que o futuro lhe reserva, na medida em que os abusos sexuais afetaram o seu desenvolvimento. “Ela [bebé] manifesta as consequências do trauma físico e psicológico” adiantou.

 

Comente esta notícia