Voluntários enganam-se e voltam a inundar gruta onde estão crianças presas

Operação de resgaste dos 12 rapazes, entre os 11 e os 16 anos, e do seu treinador, que estão presos numa gruta na Tailândia, pode, agora, demorar ainda mais tempo, meses, entenda-se.

Voluntários enganam-se e voltam a inundar gruta onde estão crianças presas
Imagem: TVI24

Um grupo de voluntários, a tentar resgatar as 12 crianças e o seu treinador que se encontram presos numa gruta na Tailândia, enganou-se e em vez de retirar água da gruta, onde se encontram as crianças, bombeou água para o seu interior. Um revés na luta contra o tempo para resgatar os jovens.

De acordo com o Bangkok Post, a atitude negligente destes voluntários atrasou as tentativas da equipa de resgate de retirar o máximo de água possível da caverna.

Voluntários enganam-se e voltam a inundar gruta onde estão crianças presas

O comandante da operação de resgate Narongsak Osotthanakorn afirmou esta quinta-feira que, como consequência, a caverna voltou a estar parcialmente inundada. Alegadamente, o grupo acreditava que voltar a colocar água dentro da gruta seria uma melhor estratégia.

“Eles podem acreditar que a técnica que usaram é eficaz para a drenagem de águas subterrâneas, mas qualquer coisa que não esteja no plano deve ser discutida connosco primeiro”, disse Narongsak, ex-governador de Chiang Rai.

À medida que as horas passam, as preocupações com as chuvas previstas são cada vez maiores e o comandante de operações afirma que por mais que façam, a água continua a entrar para dentro da caverna. “Estamos preocupados com a chuva. A água está a entrar para dentro da caverna, embora tenhamos tentado ‘entupir’ os seus canais.”, concluiu Narongsak.

Voluntários enganam-se e voltam a inundar gruta onde estão crianças presas

Neste momento, teme-se pela vida das crianças, pois, não se sabe se vão aguentar estar tanto tempo na gruta fechados. Isto porque a operação de resgaste poderá demorar meses e todos pedem que as monções não cheguem mais cedo.

 

Comente esta notícia